a história músicas ficha técnica rupert worktures
lançamento download depoimentos matérias como adquirir

http://www.klausdegeus.com.br
k l a u s @ d e g e u s . c o m . b r

matérias sobre o trabalho

matérias sobre o trabalho "eiranembeira"

 

eiranembeira é um trabalho que transcende a música. Utiliza-se também de outras linguagens: Os trabalhos visuais chamados de worktures ("work on pictures") registrados no encarte e a história de Rupert, o personagem central que funciona como uma espécie de alter-ego. A própria sonoridade não é um registro comum, comercial. Privilegia o sensorial, mesclando faixas musicais autorais (com predominância da linguagem instrumental) e efeitos sonoros que correspondem à jornada de Rupert, o personagem que parte de Naadmevil rumo a Veernandra, terra do sol constante. Klaus conseguiu um trabalho bonito e diferenciado. O projeto foi executado com apoio do Ministério da Cultura. Mais detalhes sobre a obra, incluindo duas músicas em MP3 para download, no .


Carlinhos Veiga
Coluna "Novos Acordes"
Revista Ultimato

Disco "eiranembeira" será lançado nesta segunda-feira

Primeiro trabalho do cantor e compositor Klaus de Geus tem como foco principal o experimentalismo musical,

O cantor e compositor paranaense Klaus de Geus lança nesta segunda-feira (20) o seu primeiro trabalho, o CD "eiranembeira". O projeto, que teve o apoio do Ministério da Cultura, levou quatro anos para ser concluído - desde a proposta de inclusão na Lei Rouanet até as gravações. O foco é o experimentalismo de instrumentos e ritmos.

Com 19 faixas, o disco é, basicamente, a história de um personagem criado por Klaus, chamado Rupert. Para contar a "jornada" de Rupert, o músico incluiu elementos sonoros antes de cada música que significam, entre outras coisas, a chegada e a partida de Rupert.

Instrumentos como piano, violões e saxofone são os mais presentes durante o disco. O músico, que começou a tocar piano aos 12 anos e a "brincar de compor" aos 15, destaca algumas influências musicais pessoais que tiveram peso em seu trabalho: Egberto Gismonti (instrumental), Beethoven, Chopin, Pat Metheny Group e MPB. "Tom Jobim sempre será um mestre e Djavan é uma influência bem forte, que tenho ouvido bastante recentemente. Meu estilo é realmetne eclético, uma mistura de influências que definiram um estilo próprio", define o músico.

Além de Klaus no teclado e voz, o trabalho conta com a participação de sete músicos: Fábio Cardoso (piano), Rogério Proença (guitarras), Lauro de Castro (arranjo, programação e saxofones), Ezequias Lacerda (vocal), Carine Luup (vocal), Guilherme Romanelli (violino e viola) e Ivo Meyer (violoncelo).


Gazeta do Povo
Caderno G
Música
20 de agosto de 2007

Coquetel de lançamento do CD eiranembeira

Nesta segunda, 20 de agosto, acontece na Piola Curitiba o coquetel de lançamento do CD "eiranembeira" de Klaus de Geus.

No seu trabalho foram usados três tipos de linguagem, a música, a história de Rupert (personagem que surgiu em seus trabalhos de pintura) e a última é o encarte constituído por trabalhos visuais chamados de worktures ("work on pictures").


91Rock
Roteiro
20 de agosto de 2007

"eiranembeira" de Klaus de Geus na Piola Curitiba

O CD "eiranembeira" é um trabalho feito para transcender a área da música. O próprio título já antecipa esta experiência, pois faz alusão a algo que tem “isenção de ornamentação tradicional”. Isto explica a escolha do artista por um trabalho de pesquisa, mais autoral e à margem de questões de mercado.

No trabalho são utilizadas três linguagens distintas. A primeira é a mais óbvia: a própria música. A segunda é a história de Rupert, personagem que surgiu num dos seus trabalhos de pintura, e que funciona como uma espécie de alter ego. A terceira é o encarte constituído por trabalhos visuais chamados de worktures (“work on pictures”). Assim como a música, estas obras giram em torno do conceito “eiranembeira”, tomando como primitivas elementos urbanos (já que eira e beira são, por si, elementos urbanos).

Maiores informações sobre o trabalho podem ser obtidas em http://www.klausdegeus.com.br, opção “sobre eiranembeira”.


Curitiba Interativa
Agosto de 2007

Primeiro trabalho do cantor e compositor Klaus de Geus tem como foco principal o experimentalismo musical

O cantor e compositor paranaense Klaus de Geus lança no dia 20 de agosto o seu primeiro trabalho, o CD "eiranembeira". O projeto, que teve apoio do Ministério da Cultura, levou quatro anos para ser concluído - desde a proposta e inclusão na Lei Rouanet até as gravações. O foco é o experimentalismo de instrumentos e ritmos. "Acho importante em meu trabalho usar mais de uma linguagem", enfatiza o músico.

Com 19 faixas, o disco é, basicamente, a história de um personagem criado por Klaus, chamado Rupert. "O Rupert funciona como meu alter-ego. Ele reflete o meu trajeto sob certos aspectos. É por isso que as músicas se relacionam com ele", explica. Para contar essa "jornada", o músico resolveu incluir elementos sonoros antes das músicas que significam, entre outras coisas, a chegada e a partida de Rupert.

Instrumentos como piano, violões e saxofone são os mais presentes durante todo o disco. Klaus e seus parceiros utilizam polirritmia e também mudanças bruscas no instrumental. Um exemplo disso é a última faixa, tua luz. "Considero o grand finale do trabalho. Foi difícil chegar ao resultado, que é inusitado. Eu coloquei três instrumentos solo, de peso, duelando ou brigando entre si. A guitarra no canal da esquerda, o synth no da direita e o saxofone no centro", especifica.

O músico, que começou a tocar pinao aos 12 anos e a "brincar de compor" aos 15, destaca algumas influências musicais pessoais que tiveram peso em seu trabalho: Egberto Gismonti (instrumental), Beethoven, Chopin, Pat Metheny Group e MPB. "Tom Jobin sempre será um mestre e Djavan é uma influência bem forte, que tenho ouvido bastante recentemente. Meu estilo é realmente eclético, uma mistura de influências que definiram um estilo próprio".

Além de Klaus no teclado e voz, o trabalho conta com a participação de sete músicos: Fábio Cardoso (piano), Rogério Proença (guitarras), Lauro de Castro (arranjo, programação e saxofones), Ezequias Lacerda (vocal), Carine Luup (vocal), Guilherme Romanelli (violino e viola) e Ivo Meyer (violoncelo).


Pingado - O Jornal dos Jornais
Agosto de 2007

voltar para a página principal

© Klaus de Geus
website patrocinado por MPS Informática.